BCE pede providências dos EUA quanto a dólar fraco

As autoridades monetárias da Europa deixaram claro que não estão dispostas a bancar um dólar fraco e alertam Washington para que tome medidas para evitar uma desvalorização ainda maior da moeda americana em relação ao euro. "A excessiva volatilidade (do dólar) é indesejável para o crescimento da economia diante das atuais circunstâncias", afirmou o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet. "Um dólar forte é de interesse da própria economia americana", disse.Os comentários de Trichet fizeram com que o euro recuperasse algum terreno esta manhã. Mas a relação entre as duas moedas atingiu níveis recordes nos últimos dias. Exportadores europeus temem que a desvalorização do dólar acabe freando a competitividade do bloco nos mercados mundiais. "Estamos preocupados com o excessivo movimento das taxas de câmbio", afirmou Trichet, alertando que os bancos centrais teriam de continuar "extremamente atentos" às tendências. Na prática, Trichet deu um recado aos americanos. O desequilíbrio nas contas comerciais dos Estados Unidos não poderão ser resolvidas apenas com uma desvalorização do dólar, já que isso afetará outras economias.Às 12h10, o euro valia US$ 1,5360. Mais cedo, a moeda foi cotada a US$ 1,5465, na máxima do dia até este horário e recorde até então.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.