BCE sugere que países emergentes incentivem consumo

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean Claude Trichet, fez um apelo hoje para que os países emergentes incentivem o crescimento de seus mercados domésticos como forma de evitar que a economia global seja afetada pela desaceleração nos Estados Unidos. Trichet falou no final da reunião dos principais bancos centrais do mundo, na Basiléia (Suíça), que contou com a presença do presidente do Banco Central brasileiro, Henrique Meirelles."O reequilíbrio da situação passa pelos países emergentes", disse Trichet. Mas em sua avaliação, esse apelo é apenas para os emergentes com fortes superávits fiscais e comerciais. Em documento recente, o Banco de Compensações Internacionais (BIS) alertou que alguns países emergentes sem esses superávits já estão sofrendo com as turbulências.Trichet lembrou dos riscos de inflação e pediu que os bancos centrais continuem controlando as expectativas inflacionárias. "A alta nos preços de alimentos e do petróleo estão atingindo todas as economias", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.