Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BCs da Ásia agem para conter alta das moedas

Os bancos centrais da Coreia do Sul, da Malásia e da Tailândia intervieram hoje nos mercados de câmbio, depois que as moedas asiáticas dispararam em relação ao dólar, em meio ao otimismo com a perspectiva econômica da região. O movimento de valorização das moedas foi reforçado pelos dados mostrando que o setor industrial da China teve expansão forte em dezembro.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

30 de dezembro de 2010 | 11h00

Taiwan, por sua vez, anunciou medidas para fortalecer seu sistema bancário contra os rápidos movimentos de capital estrangeiro, tornando-se o mais recente país da Ásia a adotar regulações mais rígidas para controlar os riscos representados pelo fluxo do chamado "hot money".

O movimento das moedas foi exagerado pelas condições de pouca liquidez, uma vez que muitos investidores estão fora do mercado por causa dos feriados de fim de ano. Mas corretores disseram que a tendência de valorização de várias moedas na Ásia deve continuar, com a decisão da China de guiar o yuan para um novo valor recorde em relação ao dólar.

"As pessoas estão apostando que o crescimento forte dos mercados emergentes vai continuar e que as moedas vão seguir se valorizando", disse Lum Choong Kuan, chefe de pesquisa de renda fixa do CIMB Group, em Kuala Lumpur. "Com a crise da dívida na Europa e com os EUA ainda mostrando crescimento lento, os investidores não terão outro lugar para colocar seu dinheiro senão aqui."

Novos dados da China, o motor da economia asiática, mostram que o crescimento diminuiu levemente em dezembro, mas prossegue em níveis relativamente elevados. O índice dos gerentes de compra HSBC, uma medida da atividade nacional na China, caiu para 54,4 em dezembro, de 55,3 em novembro. Uma leitura acima de 50 indica expansão.

Em Kuala Lumpur, corretores disseram que o banco central da Malásia teria comprado dólares para conter a alta do ringgit. O dólar estava em 3,0846 ringgits. Em Seul, corretores suspeitam que o Banco da Coreia tenha entrado no mercado, comprando mais de US$ 500 milhões em intervalos entre 1.135, 1.136 e 1.140 wons. O dólar fechou em 1.134,80 wons, o que deixou a moeda coreana com ganhos de 2,6% no ano.

Em Bangcoc, o dólar estava em 39,15 baths - em queda em relação aos 30,16 do fim do dia de ontem, com provável compra pelo banco central da Tailândia. Em Taipé, o banco central anunciou novas medidas para controlar o fluxo de capitais. A partir de sábado, os bancos locais terão que destinar 90% dos novos depósitos de investidores estrangeiros às reservas, um grande salto em relação ao nível atual de 9,775%. O banco central também elevou sua taxa de juro de referência em 12,5 pontos-base, na terceira elevação deste ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
moedascâmbiojurosÁsiaBC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.