BCs dizem que economia escapou de depressão global

Os maiores bancos centrais do mundo admitiram hoje que a economia internacional escapou de uma depressão global e que "a queda livre acabou". Reunidos na Suíça, os representantes dos bancos centrais também levantaram a possibilidade de que algumas das medidas para ajudar o setor bancário comecem a ser retiradas.

JAMIL CHADE, Agencia Estado

09 de novembro de 2009 | 19h05

No entanto, o trabalho de governos e de bancos, para reformar o sistema, está longe do fim e os riscos ainda ameaçam a recuperação. Sem uma reforma, o mundo não voltará a registrar uma taxa de crescimento sustentável. O que seria hoje estabilidade, de acordo com as instituições, correria o risco de se tornar uma estagnação nos próximos meses.

Os bancos centrais também concluíram que as economias emergentes crescerão a um ritmo mais acelerado que as dos países ricos nos próximos anos. Pela primeira vez desde a eclosão da pior crise em 70 anos, os bancos centrais citam a possibilidade de que medidas usadas no sistema financeiro comecem a ser retiradas de forma "gradual e ordenada", para que a estabilidade de preços seja garantida. O recado não é para que haja um fim imediato da ajuda, nem para que os pacotes econômicos sejam eliminados. No fim de semana, G-20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo) deixou claro que ainda não é a hora de encerrar esses programas.

Tudo o que sabemos sobre:
crisedepressãoBancos Centrais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.