BCs podem apenas ganhar tempo, diz chefe do BIS a jornal em aceno ao BCE

A política monetária pode apenas ganhar tempo para lidar com problemas estruturais em uma economia, e sair de uma postura frouxa tarde demais pode ser arriscado, disse o diretor-geral do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês), Jaime Caruana, em um aceno ao Banco Central Europeu (BCE).

REUTERS

22 de agosto de 2014 | 09h07

Caruana disse ao jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung que não espera ver a deflação se instalar na Europa e que as expectativas de inflação estão bem ancoradas.

"Com problemas estruturais, a política monetária pode apenas ganhar tempo", disse ele em entrevista publicada na edição desta sexta-feira.

"Depois de sete anos com taxas de juros muito baixas, é realmente possível se perguntar se estes não são problemas estruturais, que não podem ser enfrentados com taxas de juros baixas".

O BCE cortou as taxas de juros para mínimas recordes, lançou uma série de medidas para injetar dinheiro na economia da zona do euro e prometeu fazer mais se necessário para combater o risco da deflação.

Caruana disse que, embora existam riscos associados à normalização da política monetária cedo demais, os riscos ligados à normalização da política tarde demais não são tão discutidos.

"Quanto mais o tempo passa, menos eficaz será a política monetária", disse ele. "E os efeitos colaterais aumentam. Estas são em parte distorções na economia real, e em parte riscos potenciais à estabilidade financeira".

(Por Paul Carrel)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBISPOLITICAMONETARIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.