Bear Stearns corta recomendação da Sabesp

A Bear Stearns cortou a recomendação para as ações da Sabesp, de atrativa para neutra, e citou a desvalorização da moeda local, bem como a visão mais pessimista sobre as propostas de reestruturação das tarifas, anunciadas recentemente. A Sabesp possui US$ 1,1 bilhão de dívida denominada em dólares que custará mais à empresa, com as perdas de valor da moeda local.Além disso, os planos anunciados recentemente pela Sabesp de reestruturar as tarifas serão difíceis de serem implementados no curto prazo. "Não estamos tão otimistas, dada a dificuldade da situação política em São Paulo, com o Geraldo Alckmin (PSDB) bem atrás de Paulo Maluf (PPB) nas pesquisas", disse a Bear Stearns.Os investidores puniram os preços da dívida do Brasil e os valores da moeda, com a preocupação de que um novo governo eleito em outubro talvez não priorize as necessidades do mercado, acrescentou a Bear Stearns.O preço-alvo da Sabesp para 2002 é de US$ 12,80 por ação, mas se o real se desvalorizar até R$ 4 frente ao dólar, o preço-alvo cairá para US$ 5,90 por ação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.