Bear Stearns eleva recomendação para ações brasileiras

A instituição financeira Bear Stearns elevou sua recomendação para as ações brasileiras de market weight para overweight, citando perspectivas positivas para a balança comercial do Brasil e para as necessidades de financiamento do ano que vem, por conta do estreitamento das relações do País com a China. A instituição destacou que, além de elevar a recomendação, mantém ênfase em uma carteira de ações com possibilidade de serem beneficiadas pelas relações com a China e cujo desempenho deve relativamente superar o dos demais papéis. Entre elas, a Bear Stearns cita empresas do segmento de logística (CCRO, Ocean Wilsons e All America Latina Logistica), de exportação e grupos como Petrobras, Votorantim e CVRD. A Bear Stearns destaca ainda empresas relacionadas ao setor agrícola, como o Banco do Brasil, Iochpe Maxion, Bunge e parceiros regionais pertinentes como Tele Centro-Oeste, Celesc e Cemig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.