Bear Stearns rebaixa ações brasileiras

O banco de investimentos Bear Stearns rebaixou a recomendação para a Bovespa de neutral para underweight (peso abaixo da média) citando como motivo o forte crescimento de Lula (PT) nas pesquisas eleitorais. "Há um potencial de baixa no preço das ações brasileiras de 35% em relação aos níveis atuais se Lula vencer as eleições presidenciais, seja no primeiro ou no segundo turno", disse o estrategista-chefe de bolsas para mercados emergentes do Bear Stearns, Thierry Wizman, à Agência Estado."Recai sobre Lula o ônus da prova, mostrando aos investidores que ele está comprometido com reformas estruturais. Se ele não fizer esse compromisso, os investidores não vão dar o apoio ao Brasil no médio e longo prazos", explicou Wizman.Até o primeiro turno das eleições, em 6 de outubro, Wizman prevê forte volatilidade na Bovespa. "Se Serra (PSDB) conseguir se recuperar e for para o segundo turno, a Bovespa poderá registrar uma recuperação", afirmou o estrategista da Bear Stearns.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.