Belgo está perto de um acordo

Suspensão dos contratos seria por cinco meses, com 55% do salário

Ivana Moreira, O Estadao de S.Paulo

15 de janeiro de 2009 | 00h00

A Belgo Bekaert, maior fabricante de arames das Américas, está prestes a fechar um acordo para suspender o contrato de trabalho dos funcionários por um período de cinco meses. A trefilaria, controlada pela ArcelorMittal, quer pagar 55% dos salários e manter benefícios como plano de saúde para deixar os empregados em casa. O acordo, que pode afetar cerca de 1,6 mil trabalhadores, teria vigência por 15 meses. A direção da indústria e os representantes do sindicato dos metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem já fizeram pelo menos dez rodadas de negociação, desde dezembro.Ontem, na última rodada, não houve consenso. Os sindicalistas querem que a vigência seja de 12 meses, e não 15. Uma assembleia será realizada na próxima semana para votar a proposta.DEMISSÃO VOLUNTÁRIAA Volkswagen do Brasil abriu Programa de Demissão Voluntária (PDV) para doentes ocupacionais. Dos 350 que devem aderir ao programa, 250 trabalham na fábrica da Anchieta, em São Bernardo, e outros 100 na unidade de Taubaté. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC confirmou a informação da empresa de que o programa já estava previsto na convenção coletiva de 2006. A avaliação da entidade é de que o acordo é benéfico para os trabalhadores com idade próxima da aposentadoria."Os empregados que aderirem ao PDV terão direito a 2,2 salários por ano trabalhado, além das verbas trabalhistas previstas em lei, como ocorreu em anos anteriores", informa nota da Volks . SUZANO DEMITEA Suzano Papel e Celulose demitiu na sexta-feira a demissão de 180 pessoas, das quais 110 em São Paulo e 70 na Bahia. O corte, equivalente a cerca de 2% da força de trabalho da companhia, inclui empregados diretos e terceiros contratados das áreas florestal e fabril, além do escritório central e da unidade de distribuição SPP-Nemo.De acordo com a empresa, as demissões fazem parte de uma série de medidas adotadas para fazer frente ao agravamento da crise econômica global. Além do corte de postos de trabalho, a Suzano já interrompeu parcialmente a produção de celulose da fábrica localizada em Mucuri (BA). COLABOROU A AGÊNCIA ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.