Beneficiada por queda do petróleo, Bovespa sobe 0,76%

A Bolsa de Valores de São Paulo andoude braços dados com o otimismo de Wall Street, desencadeado porforte correção nos preços do petróleo, e fechou os negóciosdesta terça-feira no azul. Depois de uma sessão inteira operando sem direção definida,o Ibovespa firmou alta na última hora do pregão, encerrando comalta de 0,76 por cento, aos 59.535 pontos. O giro financeiro nabolsa foi de 5,4 bilhões de reais. O preço do barril do petróleo fechou em forte queda, nafaixa de 136 dólares, em meio à crescente avaliação de que oenfraquecimento da economia vai afetar a demanda global pelacommodity. Durante a maior parte do pregão, isso se refletiu em quedado Ibovespa, que acusou a forte desvalorização de suas açõesmais importantes, as preferenciais da Petrobras . Os papéiscaíram 3,15 por cento, a 40,61 reais, e foram os que maisperderam no índice. Ao longo da sessão, no entanto, essa pressão foisobrepujada pelo conjunto do mercado, sob liderança dasempresas que vinham sendo penalizadas pela escalada dopetróleo. O ícone dessa reação foram as ações ordinárias da Embraer,que deram um salto de 10,5 por cento, para 11,16 reais. Aspreferenciais da companhia aérea TAM subiram 5,9 por cento, a25,69 reais. O panorama positivo foi reforçado pela recuperação do setorfinanceiro nos Estados Unidos, depois que o chairman do FederalReserve, Ben Bernanke, ter sinalizado que pode dar liquidezpara instituições em dificuldades. Com isso, os bancos domésticos também apareceram comodestaques positivos, com destaque para as ações ordinárias doBanco do Brasil, com avanço de 5,1 por cento, a 24,25 reais. "No curto prazo, a tendência é a Bovespa seguir de perto avolatilidade de Wall Street, pelo menos até que a divulgação deresultados corporativos do segundo trimestre permitam umposicionamento mais sólido do investidor em relação às empresasbrasileiras", disse Pedro Galdi, analista da SLW corretora. As ações ordinárias da TIM Participações tiveram ganho de7,04 por cento, para 5,32 reais. A Bovespa estará fechada nesta quarta-feira, em virtude doferiado estadual da Revolução Constitucionalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.