Bens intermediários sobem 20,62% até setembro, aponta FGV

Os preços dos Bens Intermediários no atacado acumulam alta de 20,62% de janeiro a setembro desse ano, mais do que o dobro da elevação de preços acumulada, no mesmo período, pelos preços dos Bens Finais (9,97%) no atacado. A avaliação consta da série histórica de janeiro de 1999 a setembro de 2004 do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), anunciado hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo o coordenador de Análises Econômicas da fundação, Salomão Quadros, essa diferença pode ser explicada pelo fato de que, os impactos de alta de preços na cadeia produtiva são amortecidos, ao longo da cadeia, antes de atingir o produto final. Por isso os Bens Intermediários teriam variação maior de preços no período. A variação acumulada dos preços dos Bens Intermediários, de janeiro de 1999 a setembro de 2004, é de 195,30%, enquanto que a elevação de preços acumulada no mesmo período para os Bens Finais, é de 122,52%. Já o segmento Matérias-Primas Brutas acumula alta de 2,49% de janeiro a setembro, no atacado, e aumento de 160,14% de janeiro de 1999 a setembro de 2004. Esses três grupos, Bens Intermediários, Bens Finais e Matérias-Primas Brutas, fazem parte da formação do IPA-EP. Para se ter uma idéia do peso de cada grupo no IPA-EP, a FGV informou as ponderações médias de cada grupo, na formação do IPA-EP de janeiro de 1999, no qual o grupo Bens Intermediários representava 35,78% do IPA-EP; por sua vez, os Bens Finais representavam 32,01% do indicador; já o grupo Matérias-Primas Brutas representava 32,22% do IPA-EP. A FGV também divulgou nesta segunda as chamadas "séries especiais" dos grupos Bens Finais e Bens Intermediários, que excluem produtos com flutuação de preços muito grande no período. A série histórica especial dos preços do grupo Bens Finais, que exclui alimentos in natura e combustíveis, acumula alta de 8,40% de janeiro a setembro, e aumento de 93,61% de janeiro de 1999 a setembro de 2004. Já a série especial para Bens Intermediários, que exclui apenas combustíveis, tem elevação de 22,53% nos nove primeiros meses de 2004 e alta de 174,04 de janeiro de 1999 a setembro desse ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.