Berj também irá à venda este ano

O secretário de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro, Joaquim Levy, disse ontem que o governo fluminense está trabalhando para vender ainda este ano o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Berj). A instituição sobreviveu após a venda do antigo Banerj ao Banco Itaú.Segundo Levy, a FGV e a Price Waterhouse estão trabalhando na avaliação do Berj, que não conta com uma rede de agências. Como ativos, além de empréstimos antigos, o banco tem imóveis - avaliados, segundo o secretário, em mais de R$ 50 milhões -, títulos do governo e créditos fiscais originados de prejuízos de anos anteriores. Esses títulos podem ser usados pela instituição que comprar o Berj para abater impostos que tiver de pagar por lucros.Levy disse que não sabe quanto poderá ser arrecadado com o negócio. Ele pretende pôr a instituição à venda após resolver pendências para evitar a inviabilização do negócio. O secretário afirmou que o trabalho de preparação para a venda é supervisionado pelo Banco Central. Embora afirme a intenção de pôr o Berj em leilão, Levy disse que é possível analisar hipóteses diferentes, como a incorporação por outro banco público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.