bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Bernanke alivia tensões sobre bancos e bolsa de NY sobe

Dow Jones avançou 3,32%. Os papéis do Citi saltaram 21,5%, para US$ 2,60. Os do Bank of America avançaram 21%

Reuters,

24 de fevereiro de 2009 | 19h13

As bolsas de valores dos Estados Unidos subiram mais de 3% nesta terça-feira, 24, afastando-se dos recordes de baixas em 12 anos atingidos na véspera, após o presidente do banco central norte-americano (Federal Reserve), Ben Bernanke, sinalizar que uma nacionalização dos bancos do país não deve ocorrer no momento. Veja também: As medidas do empregoDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   Bernanke disse que o valor significativo construído pelo bancos seria perdido se eles fossem para o Estado. Em testemunho ao Senado, ele acrescentou que embora haja um momento em que seja necessário fechar alguns bancos, esse não é o caso.  As ações dos bancos subiram nesta terça-feira, um dia após notícias de que os Estados Unidos estivessem se preparando para tomar uma parte em ações ordinárias no Citigroup derrubarem os mercados.  Os papéis do Citi saltaram 21,5% no dia, para US$ 2,60. Os do Bank of America avançaram 21%, para US$ 4,73. O índice financeiro do S&P teve ganho de 11,4%.  "Os comentários de Bernanke animaram os espíritos", disse Hugh Johnson, chefe de investimentos do Johnson Illington Advisors.  "Um temor real que os investidores tinham é o setor público ficar envolvido demais com o setor privado."  O Dow Jones avançou 3,32%, para 7.350 pontos. O Standard & Poor's 500 teve alta de 4,01%, a 773 pontos e o Nasdaq teve elevação de em 3,90%, para 1.441 pontos.  Recuperação no dia O ganho interrompeu uma sequência de seis dias de perdas do S&P. Na segunda-feira, temores sobre o futuro dos bancos levaram o Dow e o S&P 500 para os menores níveis de fechamento desde 1997.  A recuperação desta terça-feira foi generalizada. Entre os 30 componentes do Dow, apenas a Microsoft caiu.  O componente de energia do S&P avançou 4,7%. A Exxon Mobil e a Chevron estiveram entre os destaques do Dow, depois de o preço do petróleo subir quase 4%.  A Exxon avançou 4%, para US$ 72,09, e a Chevron ganhou 3,7%, para US$ 65,28. O petróleo subiu em meio a expectativas de que a oferta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) será reduzida. O cartel reúne-se em 15 de março.  Os investidores também compraram pechinchas no setor de tecnologia. A Apple subiu 3,8% e o Google avançou 4,7%.

Tudo o que sabemos sobre:
Mercado financeiroBernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.