Bernanke fala em "período de transição" e alerta para inflação

A economia dos Estados Unidos está em uma fase de transição. Há elementos que indicam que o crescimento está em uma fase de acomodação, o que não seria um risco para a inflação. Contudo, o presidente do Federal Reserve norte-americano (Fed), Ben Bernanke, depois de fazer estas considerações, disse hoje que o controle rigoroso da inflação continua sendo a principal preocupação da autoridade monetária nos Estados Unidos.Ou seja, não está descartada a possibilidade de nova alta dos juros norte-americanos. A taxa está em 5% ao ano e a próxima reunião do Fed está marcada para o dia 29 de junho. Quando os juros nos estados Unidos sobem, a economia de todos os países sofre, porque o mercado consumidor norte-americano fica enfraquecido. Além disso, o lucro das empresas diminuiu, o que tem impacto direto sobre o mercado acionário dos países. Bernanke disse que nos últimos três anos, aproximadamente, "o crescimento econômico dos EUA tem sido robusto, refletindo tanto o reemprego de recursos subutilizados, que continua em andamento, como a expansão do potencial da produtividade da economia".Falando durante conferência monetária internacional promovida pela American Bankers Association, em Washington, ele disse que "aparentemente, o crescimento da produtividade deverá continuar forte", em função de novas tecnologias, do investimento e da energia criativa de empresas e trabalhadores. "Portanto, a capacidade produtiva deverá continuar a expandir-se ao longo dos próximos anos a um ritmo consistente com um crescimento sólido da produção real", disse.DesaceleraçãoContudo, Bernanke afirmou que "o PIB real cresceu rapidamente no primeiro trimestre deste ano, mas a prevista moderação do crescimento econômico parece estar agora em andamento". Segundo ele, os gastos dos consumidores, que representam mais de dois terços dos gastos totais, se desaceleraram perceptivelmente nos últimos meses.Uma causa dessa desaceleração, explicou Bernanke, são os preços mais altos da energia, que tiveram um impacto adverso na renda real das famílias e pesaram na atitude dos consumidores. "Como se esperava, os números recentes também indicam que o mercado de imóveis residenciais está arrefecendo, em parte por causa das altas dos juros das hipotecas", complementou.Cuidado com a inflaçãoBernanke afirmou ainda que "a inflação de preços ao consumidor tem se elevado neste ano, devido, em grande parte, às altas dos preços da energia". Para o presidente do Fed, "as altas cumulativas nos preços da energia e das commodities foram suficientemente elevadas para responder por parte da recente aceleração do núcleo da inflação" (excluindo preços voláteis).Bernanke disse ainda que "com a economia agora, evidentemente, num período de transição, a política monetária deve ser conduzida com grande cuidado e com atenção à evolução da inflação. De acordo com ele, há um consenso forte, entre os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto, de que manter a inflação baixa e estável é essencial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.