Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bernanke: mais aporte a bancos pode ser necessário

O governo do presidente eleito Barack Obama e o Congresso terão de adotar mais passos para reativar a economia dos Estados Unidos e o foco deve ser no fortalecimento do sistema financeiro, disse o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke. "O Fed fará sua parte para promover a recuperação econômica, mas outras medidas serão necessárias também", afirmou Bernanke em discurso na London School of Economics (LSE), em Londres. "O novo governo e o Congresso estão atualmente discutindo um substancial pacote fiscal que, se aplicado, poderá dar um estímulo significativo à atividade econômica.""Na minha opinião, no entanto, as ações fiscais não devem promover uma recuperação duradoura a menos que sejam acompanhadas por fortes medidas para estabilizar e fortalecer mais o sistema financeiro", acrescentou. Bernanke disse que o governo poderá ter de aplicar mais injeções de capital nas empresas financeiras para ajudar a estabilizar os mercados, considerando-se a piora nas perspectivas para o crescimento econômico. Além disso, as garantias podem se tornar necessárias "para assegurar a estabilidade e a normalização dos mercados de crédito", ele disse, segundo texto preparado de seu discurso.Bernanke acrescentou que há várias formas de o Tesouro dos EUA avançar em seu plano original para remover os ativos problemáticos dos balanços das instituições se esta decisão for adotada. Ele também disse que os esforços para reduzir execuções de hipotecas podem ajudar a fortalecer o mercado de moradias e aumentar a estabilidade financeira. Bernanke reiterou que o Fed pode comprar títulos do Tesouro (Treasuries) de prazos mais longos como forma de ajudar o crescimento. As informações são da Dow Jones.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

13 de janeiro de 2009 | 11h58

Tudo o que sabemos sobre:
criseBernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.