Bernanke: não elevar endividamento seria 'prejudicial'

O presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse que se o limite de endividamento federal não for elevado este ano, isso poderá ser prejudicial para os mercados e criar um choque indesejado à economia.

Agencia Estado

17 de julho de 2013 | 14h57

"Gerar a perspectiva de que o governo não pagará suas contas - não somente os juros da dívida mas até mesmo o que ele deve a veteranos ou empresas contratadas - é muito preocupante", disse Bernanke, em depoimento no Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Representantes dos EUA. "Acredito que isso pode ser um choque para a economia se ficar fora de controle."

Entre setembro e novembro deste ano, o governo perderá sua capacidade de tomar empréstimos e necessitará de uma elevação do teto da dívida. Sem um aumento desse limite, o governo não será capaz de pagar suas contas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAFedBernankeendividamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.