Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bernanke não sabe quando o aperto monetário deve começar nos EUA

Presidente do Fed disse que condições atuais, incluindo a alta das commodities, não justificam mudanças na política monetária 

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

27 de abril de 2011 | 15h56

As autoridades do Federal Reserve não possuem um cronograma específico para dar início ao aperto na política monetária dos EUA, afirmou o presidente da instituição, Ben Bernanke, durante uma aguardada entrevista coletiva. Ele acrescentou que o banco central norte-americano continuará acompanhando a inflação e o nível de emprego, assim como a necessidade de elevar as taxas de juros.

Segundo Bernanke, as condições econômicas atuais, incluindo o aumento "transitório" nos preços das commodities, não justificam mudanças na política monetária. "Não sabemos com certeza qual será a velocidade necessária para uma resposta", avaliou.(Veja no fim da página uma explicação sobre as previsões do Fed)

Bernanke disse que o Federal Reserve continua prevendo um nível alto de desemprego nos EUA e um ritmo lento de criação de vagas. Ele acrescentou que a alta nos preços das commodities deve ser temporário e que a inflação deve voltar a um nível aceitável conforme o ritmo de avanço dos preços das matérias-primas diminuir.

Orçamento

Bernanke disse que o déficit fiscal dos EUA é o problema mais importante do país no longo prazo e acrescentou que os cortes no orçamento aprovados recentemente pelo Congresso norte-americano até agora não prejudicaram a economia.

Bernanke disse que o rebaixamento na perspectiva do rating AAA dos EUA pela agência de classificação de risco Standard & Poor's é "construtivo" porque pode estimular as autoridades de Washington a resolver a questão fiscal norte-americana, visto que o desafio dos EUA para diminuir o déficit é "muito sério".

Títulos

O programa de compras de títulos do Federal Reserve não deve ter impacto significativo nos mercados financeiros quando for encerrado, em junho, afirmou o presidente do banco central norte-americano. Ele afirmou que o Fed não vai reduzir gradualmente a compra de títulos, o que permitiria uma vida mais longa ao programa.

Bernanke também afirmou que os rendimentos gerados pelo vencimento dos Treasuries e demais papéis que o Fed detém continuarão sendo reinvestidos, mesmo depois do encerramento do programa de compras de títulos.

O presidente do banco central norte-americano também indicou que um dos primeiros passos do Fed em direção a um aperto monetário seria deixar de reinvestir os rendimentos que obtém com Treasuries e outros títulos.

Entenda as previsões

O Federal Reserve norte-americano revisou suas projeções econômicas para este ano e os seguintes. As projeções são para a variação do PIB real, a taxa de desemprego média no último trimestre do ano considerado, o índice de preços dos gastos com consumo (PCE) e o núcleo do índice de preços do PCE. Ao fim da reunião de dois dias do Comitê de Mercado Aberto (Fomc) encerrada hoje, o Fed divulgou a tabela abaixo (dados em %; a Tendência Central exclui as três maiores e as três menores previsões para cada indicador; a Faixa de Previsões inclui as previsões de todos os participantes da reunião; "Janeiro" refere-se às projeções anteriores do Fed, divulgadas no primeiro mês deste ano):

 

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.