R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

Bernanke pediu processo contra AIG para bloquear bônus

Presidente do Federal Reserve classifica pagamentos a executivos como 'altamente inapropriados'

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

24 de março de 2009 | 12h16

O presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, apoiou a abertura de um processo judicial para bloquear os pagamentos de bônus de US$ 165 milhões da American International Group, mas foi impedido por seu conselho legal, de acordo com o texto do discurso desta manhã para o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara.

 

Veja também:

linkGeithner sabia parcialmente de bônus a executivos da AIG

linkEntenda a crise na AIG e a polêmica do pagamento dos bônus

 

Nos comentários preparados, Bernanke disse que os advogados estavam preocupados com a lei de Connecticut que poderia permitir que os mesmos executivos, cujos bônus eles tentavam bloquear, recebessem indenizações substanciais do governo. Apesar desse revés, Bernanke afirmou que a equipe do Fed continua revisando as opções para recuperar os pagamentos.

 

"Minha reação ao tomar conhecimento desses pagamentos específicos foi... de que era altamente inapropriado pagar bônus substanciais a empregados da divisão que foi a fonte primária do colapso da AIG", afirmou Bernanke.

 

O chefe do banco central apareceu perante congressistas junto com o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, para enfrentar questões e críticas sobre por que a AIG, que recebeu bilhões de dólares em ajuda do governo, foi autorizada a distribuir os bônus.

 

Órgão regulador

 

Ben Bernanke afirmou acreditar que o governo dos Estados Unidos precisa estabelecer um sistema para lidar com instituições financeiras economicamente significativas que estejam à beira do colapso. Segundo ele, a experiência do governo no resgate da AIG sugere a necessidade de um único regulador para lidar com "instituições financeiras sistematicamente importantes".

 

Mas Bernanke não afirma no texto se o Fed, o Tesouro, ou alguma outra agência deveriam receber a nova autoridade. "Se uma agência federal tivesse tais ferramentas em 16 de setembro, elas poderiam ter sido usadas para colocar a AIG sob intervenção, desativá-la gradualmente, proteger os segurados e impor provisões de perdas aos credores e contrapartes, conforme apropriado", relatou Bernanke.

 

Uma das principais críticas que o Fed tem recebido dos congressistas diz respeito à decisão de pagar bilhões de dólares às contrapartes da AIG e não forçá-las a assumir qualquer perda em suas posições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.