finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bernanke: perspectiva sobre juro depende da economia

Em seus comentários pós-discurso no Clube Econômico de Nova York, o presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, disse que o banco central norte-americano "quer continuar a se mover de volta para um funcionamento mais normal da política monetária", explicando que "vamos mover a política monetária conforme for solicitada pelo estado da economia".

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

16 de novembro de 2009 | 18h02

Bernanke disse que os atuais déficits orçamentários do governo são insustentáveis, apesar de não serem surpreendentes considerando os desafios que a economia está enfrentando. Ele disse que o governo precisa traçar um plano para mostrar como vai reduzir os déficits para um nível mais sustentável.

O presidente do Fed afirmou ainda que a questão das bolhas nos mercados de ativos permanece sendo um dos maiores desafios diante dos formuladores da política, embora tenha acrescentado que não vê nada nos mercados americanos neste momento que o preocupe. "É extraordinariamente difícil dizer, mas não é óbvio para mim que exista qualquer grande desalinhamento atualmente no sistema financeiro dos EUA", disse Bernanke.

Ao tratar da difícil questão do que os formuladores da política devem fazer quando são confrontados com um mercado de ativos que parece estar se valorizando mais do que os fundamentos sugerem, Bernanke observou que qualquer bolha de ativos é um "problema muito, muito desafiador" e é muito difícil determinar quando um mercado perdeu seu rumo.

Bernanke disse que o Fed pode lidar com bolhas através de aumentos na taxa de juro, mas acrescentou que é importante "usar o instrumento certo para o trabalho" e que pode ser melhor lidar com mercados de ativos descontrolados através da via da supervisão.

Desemprego

Depois de ler seu discurso formal, o presidente do Fed disse à audiência no Clube Econômico de Nova York que está preocupado com uma taxa de desemprego elevada persistente. "Eu estou preocupado de que a taxa de desemprego pode permanecer bastante alta" mesmo no final do próximo ano, disse.

No entanto, ele acredita que seja pouco provável que as atuais taxas de produtividade - elevadas pelos cortes nos empregos - persistam e, no futuro, segundo o presidente do Fed, o emprego vai voltar a crescer.

Bernanke devotou grande parte de seus comentários pós discurso para reafirmar que uma das maiores questões diante da economia são as firmas financeiras consideradas grandes demais para falir. Embora existam várias formas de como este problema pode ser tratado, o presidente do Fed disse novamente que a reforma fundamental é a criação de uma resolução que ofereça "algumas alternativas para a falência ou resgate" e coloque o peso das perdas sobre os acionistas e credores.

Em outros comentários, Bernanke disse que o Fed tinha feito alguns progressos na avaliação de ativos tóxicos mantidos por instituições financeiras. Ele também disse que os reguladores vão procurar ver se as divisões de proprietary trading (mesas onde os traders operam com recursos próprios dos bancos) são apropriadas, embora tenha dito que não exista uma regra sobre esta questão. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.