Bernanke promete amenizar problemas com hipotecas nos EUA

Segundo ele, estes problemas ocorreram, em parte, por negligência na concessão dos empréstimos

Agências internacionais,

14 de março de 2008 | 14h16

O presidente do banco central dos Estados Unidos (Federal Reserve, Ben Bernanke, prometeu que fará todos os esforços para amenizar os danos provocados pela onda de execuções hipotecárias. Segundo ele, estes problemas ocorreram, em parte, por negligência na concessão dos empréstimos. Ele ressalvou, porém, que o empréstimo a tomadores menos confiáveis foi benéfico no passado e será novamente em algum momento futuro. Veja também: Entenda a crise nos Estados Unidos   O sobe e desce do dólar Veja os efeitos da desvalorização do dólar Fundo Carlyle Capital está perto do colapsoBCs atuam para ajudar mercado de créditoSetor financeiro terá perdas de até US$70 bi no primeiro trimestreJPMorgan e Fed intervêm para socorrer seguradora dos EUA Na terça-feira. o Fed, em uma ação conjunta com outros bancos centrais, liberou recursos para o mercado. No total, o banco central americano emprestou US$ 200 bilhões em títulos do Tesouro, em um programa de empréstimos de ativos a instituições por um prazo de 28 dias. Nesta sexta-feira, foi a vez do Fed atuar junto com o JP Morgan para fornecer financiamento garantido para o Bear Stearns. Quinta maior empresa de seguridade dos EUA, o Bear Stearns, que atua no mercado de hipotecas, declarou nesta sexta que sua posição de liquidez se deteriorou significativamente nas últimas 24 horas.    Bernanke afirmou que o aumento das execuções hipotecárias "nos desafiam a encontrar maneiras de evitar execuções desnecessárias" e "a assegurar um ambiente regulatório que promova a concessão responsável de empréstimos e a propriedade de imóveis sustentável". Paralelamente, "famílias que não consigam sustentar suas propriedades terão de encontrar novos lugares para viver, destacando a necessidade crítica da oferta adequada de aluguéis de imóveis acessíveis". Falando no encontro anual da National Community Reinvestment Coalition, Bernanke esboçou as causas para a atual turbulência, sem comentar diretamente a política monetária, mas a expectativa é que o Fed reduza os juros novamente na próxima reunião, na terça-feira. Ele também não fez referência à aprovação do plano de fornecer fundos de emergência para o banco de investimentos Bear Stearns através do JPMorgan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.