Bernard Appy critica sistema tributário brasileiro

O ex-Secretário-executivo do Ministério da Fazenda Bernard Appy afirmou nesta terça-feira, 20, que "quase 5% do PIB da indústria de transformação" no Brasil é dedicado a questões tributárias. Isso vai contra a definição do sistema de impostos de qualquer país, que deve ser simples, equânime, estável e transparente. Do contrário, isso provoca distorções na economia e atrapalha a eficiência da economia.

RICARDO LEOPOLDO E FÁTIMA LARANJEIRA, Agencia Estado

20 de maio de 2014 | 09h57

"Uma das formas diretas pela qual o sistema tributário complexo no Brasil traz problemas sérios ao nível de atividade nacional é a insegurança jurídica, o que prejudica diretamente os investimentos e a geração de emprego", comentou. "Provavelmente, o Brasil é o país campeão mundial em contencioso tributário", destacou.

Segundo Appy, o contencioso administrativo federal responde por 11% do PIB do País. Ele diz ainda que o Brasil tem uma "colcha de retalhos tributária", com quatro taxas que são cobradas sobre a produção: ICMS, PIS/Cofins, IPI e ISS. Os comentários foram feitos na abertura do Fórum Estadão Brasil Competitivo, cujo tema é Uma agenda tributária para o Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórum EstadãoBernard Appy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.