André Dusek/AE
André Dusek/AE

Bernardo nega pressão de Mantega sobre previsão do PIB

Segundo ministro do Planejamento, Mantega não teria sido avisado sobre projeção de expansão de 0,7% no ano

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

21 de maio de 2009 | 09h46

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse nesta quinta-feira, 21, ao participar do programa Bom Dia Ministro, transmitido pelo sistema Radiobrás, que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, tem elementos para crer que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) ficará em 1% este ano. Bernardo negou que tenha havido pressão de Mantega para que a projeção ficasse neste nível. "Não teve pressão do Mantega", garantiu.

 

Veja também:

linkMantega arredonda PIB para 1%

especialA medida do crescimento do País

 

Ele explicou que, no início da semana, as equipes da Fazenda e do Planejamento trabalhavam com uma projeção de alta de 0,7%, mas com o "espírito" de que poderia ter uma margem de erro. "Acho que a nossa previsão está bem adequada", disse.

 

Bernardo disse que descobriu que a equipe do Ministério da Fazenda não tinha conversado com Mantega sobre a projeção de expansão da economia de 0,7%. "Então lá (Ministério da Fazenda), ele (Mantega) enquadrou todo mundo e resolveu isso comigo", afirmou. Ele explicou que o Ministério da Fazenda, assim como o do Planejamento recebe os números de todos os indicadores da economia, e, talvez, até com mais "abundância" que o próprio Planejamento. "A questão é o peso que se dá para cada setor; para cada segmento", justificou.

 

Segundo Bernardo, no dia 9 de junho, quando o IBGE divulgar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano, o governo poderá ter uma visão "mais clara" do quadro econômico e, talvez, tenha de mudar as suas projeções. Ele destacou ainda que no atual cenário econômico é muito difícil fazer previsões e afirmar que são 90% ou 100% confiáveis. "Temos um período de grande volatilidade dos índices econômicos", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
PIBMantegaBernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.