Bernardo receberá auditores hoje, mas não fará proposta

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, receberá hoje, ao meio-dia, representantes dos auditores fiscais da Receita Federal e discutirá com eles a greve iniciada pela categoria no dia 18 de março deste ano. A Assessoria do Ministério informou que Bernardo não apresentará uma nova proposta aos auditores fiscais, que reivindicam reajuste salarial e mudanças nos critérios de avaliação e promoção.A decisão de não avançar na proposta do governo foi tomada ontem, em um encontro de Bernardo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. A proposta do governo é a de conceder aos auditores fiscais reajuste salarial de 24% em julho deste ano, de 9% em julho de 2009 e de 5% em julho de 2010. Atualmente, a remuneração inicial de um auditor da Receita é de R$ 10 mil, e o salário-teto é de 13,3 mil. Caso eles aceitem a proposta do governo, o salário inicial da categoria passará, em 2010, para R$ 14 mil, e o salário mais alto, para R$ 19 mil.O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco) convocou a categoria para uma nova assembléia nacional na próxima quinta-feira (dia 8). O Unafisco decidiu promover assembléias semanais para avaliar o movimento grevista. Na assembléia de quarta-feira passada (dia 30), os auditores decidiram pela manutenção da greve.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.