finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Berzoini atribui aos bancos decisão de desconto de dias parados

O ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, disse hoje que a decisão sobre o desconto dos dias parados na greve dos bancários não compete ao governo, mas sim às organizações públicas diante de suas estratégias de negócios. Na visão dele, o que caminha para resolver o impasse da greve é a negociação.Ele afirmou que houve uma "confusão de informação" em torno da decisão do governo de permitir que a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco do Brasil (BB) cortassem o ponto dos bancários em greve."O que houve foi apenas uma reunião dos presidentes do BB e da CEF com alguns ministros para fazer um balanço do movimento", explicou Berzoini. "Na ocasião foi reafirmada essa decisão do início da greve, de não pagar os que aderirem o movimento."Primeiro EmpregoO ministro falou ainda do programa Primeiro Emprego, ao entregar à Nestlé Brasil à GRSA o selo de Empresa Parceira do Primeiro Emprego. "Quando instituições do porte delas percebem a importância de se direcionar esforços para o primeiro emprego, vemos que o programa do governo tem chances de atingir os seus objetivos."Nesta manhã, o ministro assinou, juntamente com o presidente da Nestlé, Ivan Zurita, e o presidente da GRSA, Paulo Pires, um compromisso de criar 2 mil postos de emprego para jovens de 17 a 20 anos nos próximos dois anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.