Berzoini cobra de Mantega redução mais rápida dos juros

O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), relatou nesta terça-feira, ao sair do Ministério da Fazenda, que repassou ao ministro Guido Mantega a preocupação do partido com o ritmo de queda das taxas de juros. Segundo o deputado, é necessário que seja esta queda seja mais rápida para que possa impactar a taxa de câmbio. Segundo ele, o real valorizado já afeta vários setores da economia brasileira. O presidente do PT afirmou que não sabe se a redução dos juros é a única saída para forçar a desvalorização do real frente ao dólar. Mas alertou: "Precisamos ter um equilíbrio de modo que a taxa de câmbio não prejudique setores importantes da economia que competem no mercado interno ou externo com competidores ágeis e taxas mais favoráveis".Segundo Berzoini, os setores de calçados, têxteis, móveis, eletroeletrônicos já começaram a sofrer impacto significativo da valorização do real. Ele destacou que a queda na taxa de câmbio não é boa para a economia. BancosEle contou ter expressado ao ministro da Fazenda a preocupação com os bancos públicos no sentido de que estejam comprometidos com as ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da economia. De acordo com Berzoini, eles devem estar em sintonia total com o programa de governo. "Eu manifestei a preocupação de que os bancos públicos federais tenham a direção comprometida com o PAC e com o crescimento econômico, reduzindo o spread (diferença entre os juros que são pagos pelos bancos na captação de dinheiro e os que eles cobram nos empréstimos concedidos)", afirmou.Segundo Berzoini, esses bancos têm um papel importante como indutores da redução do spread bancário. "Achamos que os bancos públicos podem ser mais ousados", comentou o presidente do PT. De acordo com ele, isso permitirá um crédito mais amplo e viável para o crescimento da economia.Berzoini disse que inclui no rol desses bancos o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que considera o mais importante por financiar investimentos. Por isso, segundo o deputado, é preciso que esteja na direção do banco alguém capaz e competente e em sintonia com o PAC. Questionado se o partido estaria cobrando a presidência do BNDES, Berzoini respondeu: "O importante é ter no BNDES gente capaz e competente. Não importa a filiação partidária. Queremos gente com total sintonia com o programa de governo", afirmou, acrescentando que "o governo é maior que o PT".Berzoini também afirmou que o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal podem ser mais ousados. Além disso, disse que os bancos públicos têm sido instrumentos fundamentais no governo do PT para reduzir o spread bancário, mas, "como somos insatisfeitos, queremos ainda mais." PreocupaçãoDe acordo com Berzoini, Mantega manifestou especial preocupação com o nível baixo da taxa de câmbio. Ele disse, porém, que seria deselegante reproduzir o que o ministro falou sobre o assunto. Segundo ele, Mantega está "bastante preocupado" no sentido de garantir a sustentabilidade do crescimento da economia. "O PAC terá um papel importante, mas é óbvio que temos que cuidar dos indicadores macroeconômicos", disse o presidente do PT. Ele contou ainda que, na audiência com Mantega, O presidente do PT também não quis informar as propostas que teria entregue a Mantega para resolver o problema. "Não é bom para a economia brasileira que esse tipo de assunto se torne uma proposta pública, porque gera expectativas", justificou. Berzoini informou que convidou o ministro Mantega a fazer uma apresentação do PAC à Executiva do PT na próxima reunião do partido, no dia 26.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.