Berzoini cogita barreira à utilização de horas extras

O Ministro do Trabalho e Emprego, Ricardo Berzoini, disse hoje que o governo não descarta a hipótese de criar barreiras para que a política de horas extras não atrapalhe a criação de novos empregos, já que o Seade e o Dieese identificaram um aumento na utilização desse recurso por parte das empresas. "Se virmos que é uma tendência generalizada de utilizar horas extras ao invés de contratar, vamos propor uma medida legislativa que tenha o sentido de restringir e reduzir a utilização desse recurso", disse Berzoini. "Não queremos chegar nesse ponto porque acreditamos que a hora extra é um instrumento de flexibilidade para algumas empresas, principalmente as que têm atividade sazonal." O ministro disse que a decisão das empresas em aumentar as horas extras em vez de contratar deve estar sendo motivada pela falta de confiança do empresariado, que teme um novo ciclo de "stop and go" na economia brasileira, a exemplo da crise de 2003. Ele reiterou, contudo, que o País está atravessando uma fase de crescimento sustentável. "Daí as iniciativas do governo para garantir esse crescimento sustentável, como as dos bancos oficiais federais, das empresas públicas, das cadeias produtivas articuladas com o Ministério do Desenvolvimento e também das governamentais, como as PPS", disse Berzoini.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.