Berzoini vai à Câmara; servidores exigem sua demissão

Uma manifestação de servidores recepcionou o ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, na chegada à Comissão de Seguridade Social na Câmara, onde ele falará sobre previdência rural.Integrantes do Sindicato dos Servidores do Legislativo e dos Auditores Fiscais da Previdência pedem a demissão do ministro por causa do bloqueio dos benefícios de idosos com mais de 90 anos, medida já revista pelo ministro. Ao chegar à Câmara, o ministro não deu entrevista.O governo montou uma grande operação para proteger o ministro durante a audiência pública. Acompanham a audiência o vice-líder do governo na Câmara, professor Luizinho, e o líder do governo, Nelson Pellegrino.?Tratarei melhor o ministro do que ele tratou os idosos?No início da tarde, o líder do PFL na Câmara, José Carlos Aleluia (BA), afirmou que pretendia questionar o ministro Berzoini sobre o bloqueio do pagamento dos benefícios aos idosos com idade superior a 90 anos. A ida de Aleluia - que não é integrante da Comissão de Seguridade Social da Câmara ? à sessão de hoje demonstra que a oposição vai insistir no desgaste do ministro. "Tratarei melhor o ministro do que ele tratou os idosos", disse o líder. A expectativa é de que o PT adote a estratégia de proteção ao ministro fazendo com que os nove membros do partido na comissão se inscrevam para perguntas, limitando o espaço da oposição. Entre os integrantes do PT, no entanto, está o deputado João Batista de Araújo, o Babá. A presidente da Comissão, deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), afirmou que o ministro deverá explicar com tranquilidade o "erro administrativo" da semana passada. Para ela, a ida de Berzoini à Comissão, marcada originalmente para discutir a aposentadoria rural, vai antecipar a discussão sobre o bloqueio do pagamento dos benefícios evitando requerimento de convocação do ministro que fatalmente seria proposto pela oposição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.