BG: avaliação do campo Carioca depende de perfurações

Mais perfurações são necessárias para se avaliar o potencial do campo de petróleo Carioca, também chamado de Pão de Açúcar, localizado a oeste do megacampo Tupi, na Bacia de Santos. Foi o que disse hoje o executivo-chefe do grupo petrolífero britânico BG, Frank Chapman, na conferência de apresentação do balanço trimestral da companhia. O grupo BG tem 30% da concessão para a exploração da área em que o campo Carioca está localizado. A Petrobras tem 45% e a Repsol YPF, 25%. Chapman repetiu o que disse há duas semanas o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli. Ele acrescentou que o campo conta com um modelo econômico de sondagem que está baseado sobre "uma ampla faixa de preços e uma ampla faixa de custos".Em 14 de abril, o diretor-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Haroldo Lima, estimou que poderia haver até 33 bilhões de barris equivalentes de petróleo e gás natural no campo Carioca. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.