finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BG e BP silenciam sobre ausência no leilão do pré-sal

As duas gigantes petrolíferas britânicas que optaram por não participar do primeiro leilão do pré-sal, o BP Group e a BG, não comentam a decisão nem a estratégia para os campos de exploração no Brasil. Além dos dois grupos ingleses, outros líderes mundiais do setor como Exxon Mobil, Chevron e Statoil estarão fora da disputa pelos primeiros campos de Libra, no litoral brasileiro.

FERNANDO NAKAGAWA, CORRESPONDENTE, Agencia Estado

20 de setembro de 2013 | 09h06

Durante a manhã desta sexta-feira, 20, o Broadcast, serviço de informações em tempo real da Agência Estado, entrou em contato com a sede da BG e da BP para ter detalhes a respeito da decisão das duas empresas que optaram por não entrar na disputa pela maior reserva de petróleo em oferta atualmente no planeta.

As duas companhias afirmaram que não comentarão o tema. Um representante de uma das duas multinacionais lembrou que "a fase de disputa das licenças é o estágio mais competitivo da indústria do petróleo". "Por isso, é algo que jamais comentamos", disse.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), além da Petrobras, estão no páreo a anglo-holandesa Shell, a portuguesa Galp, a sino-espanhola Repsol-Sinopec, a malaia estatal Petronas, a japonesa Mitsui, a indiana ONGC, a francesa Total, a colombiana Ecopetrol e as chinesas CNOOC e CNPC.

Tudo o que sabemos sobre:
ANPpré-salBGBP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.