carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Bianca, brasileira, 11 anos, pede dinheiro ao FMI. E não leva

A engraxate Bianca da Silva de Oliveira, de 11 anos, não sabe o que é o Fundo Monetário Internacional (FMI). Isso não a impediu de pedir dinheiro ao atual chefe da missão do FMI, Jorge Marquez-Ruarte, que passou pelo Rio de Janeiro hoje, como parte de seu ciclo de visitas ao Brasil desde a última segunda-feira. O objetivo da missão é realizar revisão trimestral do acordo de socorro financeiro de US$ 30 bilhões, firmado entre Brasil e o fundo, em setembro deste ano. O pedido de Bianca foi feito na entrada do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, quando Marquez-Ruarte embarcava para Brasília, onde se encontraria com integrantes do governo à tarde. O integrante do FMI se negou a dar dinheiro, e afastou-se da criança em direção ao terminal de embarque do aeroporto. A menina também fez o mesmo pedido ao diretor-assistente do Departamento de Hemisfério Ocidental do FMI, Lorenzo Perez, que acompanhou Marquez Ruarte em sua passagem pelo Rio, mas também não obteve sucesso. Bianca ganha cerca de R$ 10 a R$ 15 por dia e trabalha de meio-dia à quase dez da noite como engraxate. Enquanto Bianca começava a trabalhar no aeroporto do Rio, no início da tarde, Marquez-Ruarte e Perez encerravam reunião a portas fechadas com o presidente do Banco Central (BC) Armínio Fraga, na sede do BC no centro do Rio de Janeiro, que durou toda a manhã. A menina mora em Costa Barros, um bairro pobre localizado na zona oeste do Rio de Janeiro, juntamente com seus pais, Darcy Rogério e Cátia Fernandes que são carroceiros e catadores de papel.

Agencia Estado,

14 de novembro de 2002 | 14h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.