BID deve destinar US$ 26 bi para países membros

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que realizará a sua 43ª reunião anual em Fortaleza entre os dias 11 e 13 de março, deve ampliar significativamente o montante de seus para países membros no período 2002-2004. A cifra pode chegar a US$ 26 bilhões, incluindo linhas especiais de crédito para apoiar nações que enfrentam emergências econômicas ou situações críticas, como a Argentina.O novo montante, proposto recentemente pelo Comitê da Assembléia de governadores, da qual fazem parte ministros de Economia e Finanças ou presidentes de bancos Centrais, poderá ser anunciado durante a assembléia geral do banco.No ano passado, o BID aprovou créditos de US$ 7,9 bilhões para a região, montante recorde, considerando seu programa regular de créditos. Desde 1994, o BID reverte 40% de seus financiamentos e 50% de seus projetos a investimentos sociais (saúde, educação e redução da pobreza). Ao mesmo tempo em que irá revisar o seu Informe Anual, o BID discutirá novas políticas e iniciativas diante dos novos desafios para o desenvolvimento econômico e social da América Latina e o Caribe.De acordo com a assessoria de imprensa do BID, as sessões plenárias da assembléia anual do organismo multilateral de financiamento serão precedidas por 12 seminários oficiais e várias atividades que devem atrair milhares de representantes dos setores público e privado, convidados especiais e jornalistas, além de delegações oficiais dos 46 países membros do banco. Paralelamente à assembléia anual do BID, a Corporação Interamericana de Investimentos, membro do Grupo BID que apoia a pequena e média empresa com empréstimos e investimentos, também realizará a sua 17ª assembléia anual.A assessoria informa ainda que os governadores do BID irão analisar e discutir formas e meios de ajudar a região a se recuperar dos efeitos da desaceleração econômica mundial. No dia 10, antes do início da assembléia anual do banco, funcionários do governo argentino, analistas e especialistas analisarão e discutirão a crise argentina no seminário Argentina: Perspectivas e lições para a América Latina.O Brasil, que foi sede de duas assembléias do BID, em 1961 e 1980, é o país que mais recursos recebeu até agora. Os 290 empréstimos que o banco aprovou para o País até dezembro do ano passado representaram desembolsos de US$ 23,4 bilhões, os quais foram destinados para as áreas industrial, de infra-estrutura, modernização do Estado, saúde e saneamento, ciência e tecnologia, turismo e investimentos sociais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.