BID libera US$ 269 milhões para usinas de etanol no Brasil

Financiamento para a CNAA é um dos maiores já concedidos para uma única indústria do combustível

Gerson Freitas Jr., da Agência Estado,

23 de julho de 2008 | 16h25

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou nesta quarta-feira, 23, um dos maiores financiamentos já concedidos para uma única indústria de etanol. O órgão vai emprestar US$ 269 milhões para a Companhia Nacional de Açúcar e Álcool (CNAA) para a construção de três novas destilarias, a serem construídas em Minas Gerais e em Goiás, e ajudar a levantar um financiamento de US$ 379 milhões junto ao banco BNP Paribas. Esses novos empréstimos são parte de um amplo programa do BID para apoiar projetos de desenvolvimento de energia renovável e eficiência energética na América Latina e no Caribe.   As três novas usinas vão produzir 420 milhões de litros de etanol ao ano para o mercado doméstico e gerar a sua própria energia a partir do bagaço da cana-de-açúcar. O projeto prevê ainda a geração de energia adicional para cerca de 400 mil casas.   O presidente do BID, Luis Alberto Moreno, disse que o banco decidiu apoiar o projeto após um ano de análise sobre seus impactos socioeconômicos e ambientais. "Nós concluímos que eles vão produzir energia limpa e sustentável sem impactar os preços dos alimentos", afirmou Moreno.   A CNNA, joint venture criada no ano passado entre as usinas Santelisa Vale e Tropical BioEnergia SA e os bancos de investimento americanos Goldman Sachs e Carlyle Riverstone, vai arrendar terras de pequenos e médios produtores de cana-de-açúcar.

Tudo o que sabemos sobre:
CombustíveisEtanolBID

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.