BID ressalta tendência positiva na economia da AL

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Luis Alberto Moreno, destacou hoje, no 4o Fórum Europa América Latina, as "tendências positivas" da economia latino-americana. Durante o pronunciamento, Moreno ressaltou que após três anos crescendo a um ritmo próximo a 5%, os países progredirão em 2006 entre 4,3% e 4,5%.O presidente lembrou que desde 2003 o crescimento médio anual na região foi de 4,9%, e isso foi possível "em um ambiente de baixa inflação", já que a alta dos preços no ano passado ficou em 5,5% - a mais baixa desde a década de 60. Para Moreno, a alta inflação é um dos piores inimigos dos pobres - que representam cerca de 40% da população da região (o que contabiliza aproximadamente 200 milhões de pessoas), segundo dados do Centro de Estudos Parapsicológicos da América Latina (Cepal).Bons resultadosEm sua opinião, os bons resultados dos últimos anos mostram que a América Latina "deu passos para reduzir sua vulnerabilidade" e isso porque a maioria dos Governos aplicaram "políticas contra-cíclicas" que permitiram, por exemplo, reduzir o volume da dívida pública de 72% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2002 para 53% em 2005. Moreno também lembrou que a região tem um déficit anual de US$ 80 bilhões, resultantes de necessidades em infra-estruturas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.