Bielsa corre o risco de ser demitido, diz fonte

O chanceler Rafael Bielsa estaria com os dias contados no cargo, segundo uma fonte do governo argentino. Além de ter provocado um clima de discórdia com o Brasil, o chanceler cometeu uma falha imperdoável num assunto considerado um calcanhar de Aquiles para a Argentina: a soberania das Ilhas Malvinas. Bielsa vai ter de explicar no Senado porque a diplomacia argentina não reagiu a tempo contra o reconhecimento da soberania britânica sobre as Ilhas Malvinas instituído pela Constituição européia. Tal reconhecimento dificulta ainda mais a velha reivindicação argentina sobre a soberania do arquipélago. O que não se entende no Senado, muito menos na Casa Rosada, é que o texto da nova Constituição vem sendo discutido publicamente pelos europeus há dois anos, sendo que sua versão final foi aprovada há dois meses. No entanto, a chancelaria argentina somente emitiu uma reação contra o texto há alguns dias. Irritada com a situação, a própria primeira dama, Cristina Kirchner, que também é senadora do Partido Justicialista, foi a responsável pela convocação do chanceler. A reivindicação da soberania das Ilhas Malvinas é uma das maiores bandeiras da Argentina. Trata-se de um dos poucos temas que contam com a unanimidade nacional, tanto política quanto social. Como diz o editorial do jornal La Nación de hoje: "alguém deverá assumir esta responsabilidade histórica e o notório descuido sobre o fato ocorrido".

Agencia Estado,

05 Maio 2005 | 12h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.