bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Bier reforça discurso de Malan e também cobra o PT

O secretário executivo do Ministério da Fazenda, Amaury Bier, disse hoje que não vê "razão para que o País perca o rumo, qualquer que seja o resultado das eleições". Apesar disso, fez um apelo para que todos os candidatos a presidente "sejam absolutamente explícitos sobre suas teses" e para que "não pairem dúvidas que o passado de inflação alta e quebra de contratos foram definitivamente deixados para trás". Ele afirmou que o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, divulgará seu programa de governo na próxima semana e, então, declarou: "Aguardo com ansiedade por esse programa e espero que venha de forma consistente". Ele afirmou também que acredita que, "a médio prazo, há uma clara tendência de redução da taxa de juros nominal e real" e disse crer que o Brasil pode ter taxa de juros real de um dígito "se mantida uma boa administração da política fiscal", frisando que não estava falando da reunião do Copom desta semana. Bier disse ainda que os fundamentos da economia são bons e que as turbulências atuais no mercado financeiro serão superadas, como outras já foram. Segundo ele, há um processo de recuperação da economia em curso e as turbulências são recentes. "Não quero crer que isso terá efeito sobre a economia real", disse. Bier acrescentou que o crescimento da economia este ano deve ficar entre 2% e 2,5%. Segundo Bier, "o investimento direto continua fluindo. "Não creio que fujamos de algo da ordem de US$ 18 bilhões", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.