Big Mac não é refeição, decide juiz

Citando o documentário norte-americano Super Size Me, a Dieta do Palhaço, que mostra os efeitos nocivos à saúde de quem se alimenta apenas em fast foods, mais especificamente no McDonald´s, o juiz Ricardo Artur Costa e Trigueiros, da 4ª turma do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, considerou procedente o pedido de um ex-funcionário da empresa em São Paulo de receber o equivalente a R$ 5 por dia de trabalho na empresa por causa do tíquete refeição, pedido em ação trabalhista.A empresa, que não se manifestou sobre a decisão, entende que, ao fornecer os produtos de seu cardápio aos funcionários nas horas de refeição, estaria cumprindo a lei. No entender do juiz, acompanhando pela maioria de seus colegas, "lanche não equivale a refeição (...), mormente em vista do elevado teor calórico e questionável valor nutritivo", escreveu Trigueiro na sentença, da qual o McDonald´s não recorreu.Mais adiante, a argumentação do juiz descreve a "notória impropriedade do seu consumo diário, valendo mencionar a respeito, o sugestivo e premiado documentário Super Size Me, de Morgan Spurlock"."Ela (a empresa) já havia perdido outros casos como esse. Mas, agora, houve repercussão porque a sentença foi divulgada", disse Francisco de Salles Cesar Neto, advogado do funcionário.Na opinião do jurista Ives Gandra Martins, a decisão é questionável. "Ela só revela que o juiz não gosta do McDonald´s. Receber o tíquete não implica o trabalhador comer melhor. Ele pode gastá-lo em fast foods também", afirma o jurista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.