Bilionário acusado de fraude se diz inocente

O bilionário americano Allen Stanford e três de seus ex-funcionários se declararam inocentes ontem da acusação de uma fraude de cerca de US$ 7 bilhões.Os advogados de Stanford pedirão ao Tribunal Federal do Estado de Houston que liberte Stanford, de 59 anos, sob fiança. Os outros acusados, que ficaram livres após pagar fiança, são Laura Pendergest Holt, ex-chefe de investimentos do Grupo Stanford; Gilberto López, então responsável pela contabilidade da empresa; e Mark Kuhrt, do setor de gastos do escritório de Houston.O governo americano acusa o grupo de se envolver em fraude que incluiu um banco de Stanford em Antígua e Barbuda. Ele chegou algemado ao Tribunal, com grilhões nos tornozelos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.