Bill Gates no topo da lista dos mais ricos

Ele desbancou mexicano Carlos Slim após 6 anos 

Agências internacionais,

16 de maio de 2013 | 22h20

 

SÃO PAULO - O magnata da tecnologia Bill Gates, fundador da Microsoft, voltou ao posto de homem mais rico do mundo, de acordo com os cálculos da Bloomberg, após seis anos. Ele tirou o mexicano Carlos Slim, dono do conglomerado de telecomunicações América Móvil - que engloba as empresas Claro, Embratel e Net no Brasil - da primeira posição no ranking de bilionários. A fortuna de Gates atingiu nesta quinta-feira US$ 72,7 bilhões, contra o total de US$ 72,1 bilhões de Slim.

As ações da Microsoft tiveram uma forte alta nos últimos 12 meses (ganho de 28%) e atingiram recentemente seu maior valor em cinco anos, elevando o patrimônio de Gates em US$ 10 bilhões de janeiro até agora. No entanto, a troca de posições entre Gates, de 57 anos, e Slim, de 73, também é explicada pela determinação do governo mexicano em reduzir a posição dominante da América Móvil.

Na visão do governo mexicano, a situação praticamente monopolista do conglomerado de Slim - ele domina 70% do mercado de telefonia celular, por exemplo - prejudica o consumidor do país, que estaria pagando mais do que deveria pelos serviços por causa da falta de opções de fornecedores.

A ofensiva do governo teria reduzido o patrimônio de Slim em US$ 2 bilhões somente no ano de 2013. Segundo as novas regras para o setor de telecomunicações no México, o governo poderá obrigar as empresas que dominam mais de 50% de um determinado mercado a desistir de parte de suas operações ou a compartilhar as redes que construíram com as concorrentes com menor fôlego para investir.

Embora Bill Gates seja mais conhecido como o dono da Microsoft, a Bloomberg ressalva que a fortuna do empresário é administrada por meio da Cascade Investment. Esta holding concentra as fatias que Gates mantém em pelo menos uma dezena de companhias negociadas no mercado financeiro e em vários negócios de capital fechado, incluindo a rede de hotéis de luxo Four Seasons. O empresário doou cerca de US$ 28 bilhões de sua fortuna à fundação filantrópica que mantém com a ajuda da esposa, Melinda Gates.

Brasileiros. O brasileiro mais bem colocado na lista, segundo os dados desta quinta, era Jorge Paulo Lemann, um dos fundadores da Ambev e do fundo 3G, que pagou US$ 28 bilhões pela gigante americana Heinz em fevereiro deste ano. O patrimônio de Lemann, que aparece na 33ª posição, segundo a Bloomberg, é estimado em US$ 20,9 bilhões. O banqueiro Joseph Safra é o único outro brasileiro a figurar no "top 100". Ele está em 86º lugar, com US$ 12 bilhões. 

Tudo o que sabemos sobre:
Bill GatesBloomberg

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.