coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Biodiesel é "paixão do governo", diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira que o projeto de biodiesel é uma "paixão do governo" e garantirá no futuro a soberania nacional. Em discurso na abertura do 1º Encontro Nacional de Biocombustível, na Confederação Nacional da Indústria, Lula ressaltou que é importante o País dar garantias de que conseguirá cumprir os compromissos firmados com eventuais consumidores e compradores da produção de biodiesel. "Nós achamos que o mundo não pode ficar dependente de um combustível fóssil e que tem fim", afirmou o presidente, referindo-se ao petróleo. "Vamos extrair petróleo, mas vamos plantar também petróleo" acrescentou.No discurso, Lula disse ainda que é necessário definir regras para o setor, para evitar que haja dúvidas no mercado. "Se fizermos isso haverá no mundo um lugar reservado para o Brasil, enquanto potência econômica e energética", afirmou. Lula relatou que nas viagens que faz a outros países promove o programa de produção de biodiesel. "Em cada lugar do mundo que vou eles vão ter que engolir um pouco de biocombustível", brincou. "Fico imaginando que estamos discutindo a soberania nacional e o papel que o Brasil terá no mundo globalizado.".Lula afirmou que o Brasil vive um grande momento de transformação, que encontrou sua vocação e que ingressou em um círculo virtuoso. Como indicadores dessa avaliação, mencionou o crescimento econômico, a estabilização da moeda, o salto das exportações, o fortalecimento das instituições, a redução dos desequilíbrios sociais e a expansão do mercado de trabalho. Mas salientou que o projeto de desenvolvimento de biocombustíveis será "o passaporte para o Brasil atravessar a fronteira do desenvolvimento". A partir da consolidação desse projeto Lula acredita que o Brasil deverá tornar-se um líder mundial na área de energia renovável.Em sintonia com a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, Lula informou que o governo poderá antecipar o calendário de aumento da mistura do biodiesel no diesel. Mas assim como a ministra, esquivou-se de apontar datas. "Não nos deixaremos levar pela empolgação e nem colocar o carro na frente dos bois", afirmou. Segundo ele, mais importante que antecipar metas é a consolidação da cadeia produtiva dos biocombustíveis e não caminhar com a pressa desordenada com que foram feitas muitas coisas antes no Brasil. O presidente salientou que o desenvolvimento desse setor abrirá novas oportunidades produtivas, como a exportação da tecnologia de refino de biocombustíveis, e alternativas para a produção de soja e outra oleaginosas, que hoje oscilam conforme os preços internacionais. Lula lembrou ainda que o Brasil continuará a explorar novos campos de petróleo, mas disse que o País não pode ser totalmente dependente do combustível fóssil, cujo preço não retornará aos patamares anteriores. InvestimentosLula disse em discurso que o BNDES liberou o terceiro financiamento para empresas que produzem biodiesel. Segundo ele, o banco estatal aprovou empréstimo de R$ 42,8 milhões para a Caramuru Alimentos. Os recursos serão empregados na construção de uma unidade para a produção de biodiesel, a partir do óleo de soja. Essa fábrica, que será construída no município de São Simão, em Goiás, terá capacidade para produzir 100 mil toneladas de biodiesel por ano. Em nota distribuída à imprensa o BNDES informou que já aprovou duas outras operações de financiamento a produtores de biodiesel: uma para a BSBios de R$ 28,7 milhões e outra para a Bertin de R$ 14,6 milhões. Durante discurso, Lula parabenizou a Caramuru e o banco pela conclusão da operação. Check upO presidente disse ainda, no discurso que fez no 1º Encontro Nacional do Biocombustível, que cuidar da energia de um país é como cuidar de um coração, com a necessidade de check up cotidianamente. "Na hora em que oferecermos várias matrizes de energia estaremos passando para o mundo a certeza de que nós, governantes brasileiros, empresários brasileiros e o povo brasileiro estaremos levando este País a sério. Quando levarmos este país a sério, todos levarão este país a sério". Lula afirmou também que a falta de investimentos em governos passados em energia impediu a entrada de novos recursos no País. "Qualquer sinal de fragilidade no oferecimento de energia, quem será o louco que vai querer investir no País?", questionou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.