Bird defende crescimento duradouro para reduzir pobreza

A redução da pobreza nos países em desenvolvimento passa, necessariamente, pela promoção de um crescimento econômico duradouro, de acordo com relatório do Banco Mundial (Bird) divulgado poucos dias antes da realização de uma cúpula do grupo das oito nações industrializadas (G-8) que discutirá o alívio da dívida dos países pobres. O informe, produzido em associação com os Ministérios de Desenvolvimento de França, Alemanha e Reino Unido, estuda a evolução do crescimento econômico em 14 países da África, Ásia, América Latina e Leste Europeu nos anos 1990. "Este estudo deveria nos estimular a trabalhar estreitamente com os governos dos países em desenvolvimento, para ajudá-los a ter êxito em suas economias e na participação dos cidadãos neste sucesso", ressaltou o ministro britânico Gareth Thomas. Os dirigentes do G-8, incluindo a Rússia, vão se reunir entre 6 e 8 de julho em Gleneagles (Escócia), a convite do premier Tony Blair, a fim de analisar os meios de ajudar a África - em especial - a sair da pobreza. A cúpula se concentrará em anular 100% da dívida dos países pobres com as instituições internacionais. O informe do Bird tira lições de situações particulares nos 14 países estudados, entre eles cinco países africanos. Em média, um aumento de 1% da taxa de crescimento do PIB por habitante nestes países nos anos 1990 se traduziu em uma redução de 1,7% da pobreza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.