Bird divulga novo índice sobre clima para investimentos

Brasileiros interessados em estabelecer um novo negócio no setor formal da economia sabem que precisam ser pacientes. Um novo indicador sobre o ambiente para negócios e investimentos do Banco Mundial quantifica, pela primeira vez, esse dado. De acordo com o documento anual sobre Indicadores do Desenvolvimento Mundial, divulgado hoje pelo Banco Mundial, os trâmites burocráticos para a criação de uma empresa no Brasil consomem nada menos de 86 dias. O custo de registro de uma nova empresa é de 12% do PIB per capita. O tempo médio de execução de um contrato é 180 dias. E o País é recordista mundial no que se refere ao tempo necessário para resolver um processo de falência: 3.650 dias, ou nada menos do que dez anos.Em comparação, no Canadá e nos Estados Unidos são necessários apenas 2 e 4 dias para se iniciar um novo negócios e o custo da operação é de apenas 1% da renda per capita, em ambos países. O Brasil sai-se mal na comparação com a maioria dos países vizinhos, como o Chile (34 dias), México (51), Colômbia (60) e Argentina (63). Por esse critério, o País é menos atraente até do que a China, que é governada por uma das maiores burocracias do planeta. Na China, se leva 55 dias para se abrir um negócio.Para os que atribuem o excesso de trâmites e da papelada que se exige no País para a criação de uma empresa à tradição da sociedade cartorial herdada de Portugal, o relatório do BIRD contem uma boa notícia. O Brasil está melhorando em relação à antiga metrópole, onde são necessários nada menos do que 104 dias para se começar um negócio e o custo da operação chega a 22% do PIB per capita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.