KAREN BLEIER/AFP
KAREN BLEIER/AFP

Bitcoin bate barreira dos US$ 5 mil, com maior cotação desde novembro

A alta foi de 20% no mercado asiático e chegou ao pico durante a madrugada de hoje. A nova meta a ser batida é a de US$ 5,2 mil

Talita Nascimento, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2019 | 14h39

O preço da Bitcoin superou repentinamente nesta terça-feira a barreira dos US$ 5 mil, alcançando seu nível mais alto desde o mês de novembro do ano passado. Aquele foi o último mês em que a criptomoeda chegou a ser cotada em US$ 6,5 mil. Essa nova disparada inesperada ainda não tem muitas explicações para o Mercado.

O que se sabe é que depois dessa marca, a nova meta a ser batida é a de US$ 5,2 mil. Esse é o teto programado por investidores para vender a criptomoeda. Caso ela ultrapasse a nova barreira, os preços devem subir mais e se solidificar por mais tempo nas negociações do mercado financeiro

Até as 18h (horário de Brasília) do dia 1º de abril, a bitcoin estava cotada em US$ 4.126 mil e já na madrugada de hoje, às 2h25, chegou a US$ 5,078 mil. A alta foi de 20% no pico, uma disparada que não acontecia desde 2017, ano em qua a moeda chegou a ser cotada em US$ 20 mil.

Desde o início do ano a moeda estava emperrada na cotação modesta de US$ 3.500 mil a US$ 4.000 mil. Por volta das 14h de hoje, a cotação girava em torno de US$ 4,7 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.