Black Friday 2014 ganha adesões e dura até domingo

Promoção para estimular consumidor a antecipar compras deNatal alcança setores de turismo, construção e até motéis

O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2014 | 02h04

A Black Friday, data que marca o início das vendas de Natal nos Estados Unidos com grandes promoções e descontos, ganhou mais adesões no Brasil este ano em vários setores e deve se estender no fim de semana.

A campanha para alavancar as vendas aproveita o ânimo dos assalariados que estão recebendo a primeira parcela do décimo terceiro salário. Várias redes de varejo estão anunciando descontos especiais até domingo e os supermercados Extra abriram a Black Friday ontem às 22 horas para virar a noite atendendo os consumidores interessados em antecipar as compras de Natal.

A grande adesão de lojas físicas e de sites de comércio eletrônico mostra que a data importada da cultura americana continua ganhando força no varejo brasileiro. No comércio online, a Black Friday já se consolidou como a data mais importante do ano, com expectativa de vendas de mais de R$ 1 bilhão pela primeira vez este ano.

Black fraude. Após grande número de queixas de consumidores em 2012 e 2013, quando se popularizou a expressão "o dobro pela metade do preço", este ano as lojas virtuais aderiram ao código de ética da Black Friday, uma iniciativa da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Câmara E-net). O selo "Black Friday Legal" aparece nos sites de empresas que se comprometeram publicamente a oferecer descontos reais durante a promoção.

A maior parte dos problemas relatados por consumidores em 2013 foi de sites fora do ar ou dificuldade para fechar compras, segundo o portal Reclame Aqui. Para a edição de 2014, as empresas investem pesado em marketing e em infraestrutura de rede. A previsão do E-bit, empresa especializada em informações sobre o comércio eletrônico, é de que a Black Friday alcance R$ 1,2 bilhão em vendas só no comércio eletrônico.

Nos shoppings Villa-Lobos, Mooca Plaza, Metrô Santa Cruz e Jardim Sul, em São Paulo, as lojas vão funcionar hoje até domingo, das 7h às 23h. Quem chegar de carro até as 10hs terá isenção da taxa de estacionamento até o meio-dia. No sábado, lojas abrirão das 10h às 23h e no domingo, das 14h às 20h.

Segundo uma pesquisa da Serasa, os smartphones são os produtos mais pesquisados. No topo da lista está o Moto G, aparelho da Motorola, seguido do iPhone, da Apple, e do Moto X, também da Motorola.

Drones. O esforço para atrair consumidores este ano contou com tecnologia de última geração. Duas lojas usaram drones para ações inusitadas. A Camisaria Colombo promoveu um "Desfile nas Alturas", com manequins voadores anunciando as ofertas da loja.

"Buscamos uma forma inovadora de ir aonde o nosso público está e mostrar que há ofertas que ele simplesmente não pode perder", comentou Caroline Saraiva, gerente de Marketing da Colombo, por meio de nota.

O site de comércio eletrônico Mercado Livre colocou um drone para sobrevoar as calçadas da Avenida Paulista, anunciando descontos de até 70%, parcelamento sem juros e frete grátis. Entre as empresas que participam da promoção estão a Ricardo Eletro, Polishop, Von Dutch e Decathlon. Na segunda-feira, dia 1.º de dezembro, o Mercado Livre fará a Cybermonday, estendendo um pouco mais a promoção.

Waze. Outro recurso tecnológico usado este ano é o aplicativo Waze, que vai alertar os usuários sobre as promoções nas lojas das Casas Bahia e Ponto Frio. O Waze, muito usado para ajudar no trânsito, vai identificar a localização das 1.023 lojas das redes de varejo nos seus mapas e traçar as melhores rotas até as unidades escolhidas.

Além das tradicionais redes de varejo, a Black Friday brasileira já tem adesão de companhias de aviação, construtoras e restaurantes. Até os motéis aderiram, anunciando a Black Monday, com descontos de até 50% em suítes na segunda-feira, 1.º de dezembro, até às 6h da manhã do dia 2.

A intenção é aumentar a receita em um dia em que o movimento é tradicionalmente baixo. Mais de 60 motéis da associação brasileira do setor participam da promoção.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.