ALEX SILVA/ESTADÃO
ALEX SILVA/ESTADÃO

Black Friday 2021: vendas no e-commerce crescem 5,8%, mas ficam abaixo do esperado

No total, as lojas online faturaram R$ 5,419 bilhões entre quinta e sexta de acordo com levantamento da consultoria Neotrust; apesar do crescimento sobre o ano passado, o desempenho foi menor que o previsto

Isadora Duarte, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2021 | 16h39

O e-commerce faturou R$ 5,419 bilhões na Black Friday, 5,8% a mais do que o registrado em igual período do ano passado, revela levantamento divulgado pela Neotrust - unidade de negócio do T.Group. O resultado considera as compras realizadas via e-commerce entre a meia-noite de quinta-feira (25) e 23h59 de sexta-feira (26) em todo o País.

O volume de pedidos, contudo, foi 0,5% menor que o registrado no ano passado, totalizando 7,618 milhões nas 48 horas monitoradas deste ano. O tíquete médio (valor médio gasto por compra) foi 6,4% superior ao de 2020, em R$ 711,38.

O desempenho das vendas na sexta-feira ficou abaixo do esperado, segundo a head de Inteligência da Neotrust, Paulina Dias. Ela diz que apenas ontem o faturamento ficou pouco acima de R$ 4 bilhões, 4,5% maior que em igual data do ano passado. 

"Esse faturamento foi abaixo do que estávamos projetando. Teve uma performance abaixo do que foi a quinta-feira, que teve crescimento de 10%. Em número de pedidos, na sexta-feira, tivemos 5,2 milhões de pedidos. Isso representa 2,4% abaixo do que tivemos em 2020", disse Paulina Dias em relatório. Ontem, o horário de maior fluxo de vendas foi entre 10h e 14h, segundo a executiva.

Formas de Pagamento

O levantamento da Neotrust aponta ainda que o cartão de crédito se manteve como a principal forma de pagamento. "Houve perda de participação do uso do boleto bancário em 4 pontos porcentuais como forma de pagamento, enquanto Pix e carteiras digitais ganharam espaço. O Pix, entretanto, não teve a performance esperada, o que pode estar relacionado à data da Black Friday, já no final do mês, o que tem um impacto no bolso do consumidor para compras à vista", acrescentou a executiva da Neotrust.

Os dados mostram também que o valor médio do frete foi 12% menor que no ano passado e a participação do frete grátis nos pedidos aumentou 0,6 ponto porcentual. De acordo com Dias, esse dado leva à conclusão de que o varejista desembolsou uma parte do frete para atrair consumidores.

As cinco categorias com mais pedidos foram: moda e acessórios, beleza e perfumaria, telefonia, eletroportáteis e eletrodomésticos. Telefonia, eletrodomésticos, eletrônicos, informática e móveis lideraram em faturamento de compras. 

Fritadeira e aspirador de pó foram os eletroportáteis mais vendidos. De acordo com o levantamento, a região que mais consumiu durante a Black Friday, em número de pedidos, foi o Sudeste, respondendo por 61% do total. Na sequência, estão as regiões Nordeste (16%), Sul (14%), Centro-Oeste (6%) e Norte (2%).

As mulheres contribuíram com 57% dos pedidos de compras online, e a faixa etária que mais consumiu (35%) foi a entre 26 e 35 anos, seguida por consumidores entre 36 e 50 anos (34%), compradores até 25 anos (17%) e consumidores com mais de 51 anos (14%). Segundo a ClearSale, parceira do T.Group na ação, foram evitadas fraudes de R$ 66,30 milhões até as 23h de ontem.

Os resultados da Black Friday 2021 foram monitorados desde a quinta-feira pelo site Hora a Hora, iniciativa da Neotrust em parceria com a ClearSale e com patrocínio do Cartão Elo. Os dados monitorados serão revisados nos próximos dias, considerando as taxas de aprovação dos pedidos. O resultado consolidado da Black Friday 2021 será divulgado na segunda semana de dezembro pela Neotrust.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.