Black Friday deve movimentar R$ 150 mi, 50% mais que em 2011

Entre os produtos mais procurados estarão eletrodomésticos, informática e telefonia celular; tíquete médio deve ficar em torno de R$ 350

Júlio Ettore Suriano, especial para Agência Estado,

22 de novembro de 2012 | 19h53

SÃO PAULO - A e-bit, especializada em comércio eletrônico, espera que o e-commerce brasileiro movimente de R$ 150 milhões na Black Friday deste ano, 50% mais em relação ao ano passado. A e-bit acredita que os produtos mais procurados serão eletrodomésticos, eletrônicos, informática e telefonia celular. O tíquete médio deve ficar em torno de R$ 350.

Em sua terceira edição brasileira, a Black Friday 2012 deve movimentar nessa sexta-feira principalmente os sites de compras coletivas e as grandes redes de varejo no Brasil. Na avaliação do presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FDCL/SP), Maurício Stainoff, ambos os setores devem se aproveitar da divulgação na internet."Os grandes sites de venda já aproveitavam as ferramentas de divulgação pra oferecer o Black Friday e as pessoas que normalmente compram pela a internet são mais informadas", afirma.

Quem ainda não deve ganhar com a data é o pequeno varejista, avalia o presidente da FCDL/SP. "Ele não tem estoque e não tem essa cultura, acaba se focando no natal". Ainda segundo Stainoff, o grande varejo deve se aproveitar dos descontos de até 75% para antecipar as vendas de natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.