Black Friday terá oferta até de camarão

Cópia de evento dos EUA, que chegou ao País em 2010 pelo e-commerce, ganha força em loja física

MARINA GAZZONI E GUSTAVO FOSTER, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2012 | 02h03

A versão brasileira do Black Friday, tradicional data de descontos do varejo americano, chega mais forte à sua terceira edição, marcada para amanhã. Além das grandes redes de e-commerce, o evento terá mais promoções em lojas físicas e uma diversidade maior de produtos em oferta. Os varejistas prometem descontos de até 80% em eletrodomésticos, roupas, passagens aéreas, carros e até camarão.

O evento propõe que as lojas ofereçam descontos especiais durante as 24 horas seguintes ao Dia de Ação de Graças. No Brasil, o Black Friday chegou em 2010 - e apenas no varejo virtual. Neste ano, pelo menos 300 empresas lançarão ofertas no e-commerce, um número bem maior do que as cerca de 50 que participaram do evento em 2011, segundo o empresário Pedro Eugenio, sócio do Busca Descontos, que reúne ofertas no site www.blackfriday.com.br.

As lojas físicas também aderiram ao evento de 2012 - no ano passado, apenas o Extra deu descontos em hipermercados. As redes Pernambucanas, Ricardo Eletro, Insinuante, Americanas, Imaginarium e até as concessionárias Chevrolet farão promoções amanhã.

O Grupo Pão de Açúcar oferecerá descontos nos supermercados Pão de Açúcar e Extra e nas drogarias e postos de combustível da bandeira da marca. "Além dos eletrodomésticos, vamos oferecer descontos em alimentos neste ano", disse o diretor de marketing para varejo do grupo, Marcelo Bazzali.

Enquanto a rede Extra oferecerá produtos da cesta básica com até 70% de desconto, os supermercados da marca Pão de Açúcar terão produtos como vinhos, camarão, cervejas especiais e toda a linha da marca Casino. "Estamos negociando com fornecedores há seis meses para as promoções de amanhã", disse Bazzali.

Outra estreante no Black Friday é a montadora General Motors, que dará descontos em toda a linha Chevrolet. Com as promoções, válidas para todo o País, a empresa espera vender mais de 6 mil carros amanhã. "É uma venda acima de outras ações promocionais. No Mega Dia, as vendas são entre 4 mil e 5 mil carros", conta Alexandre Hernandes, gerente de marketing de varejo da GM/Chevrolet do Brasil. Os valores dos descontos serão divulgados somente amanhã.

E-commerce. Apesar da adesão do varejo tradicional ao Black Friday, o maior volume de ofertas se concentrará no e-commerce. No ano passado, o evento movimentou R$ 100 milhões, o maior volume de vendas em um dia no varejo virtual brasileiro, segundo dados da consultoria ebit. Neste ano, as vendas devem somar cerca de R$ 135 milhões, de acordo com estimativas do BuscaDescontos.

Novatas como as varejistas virtuais de moda Lets e OQVestir terão de disputar consumidores com gigantes como a Netshoes, Magazine Luiza e Walmart. "Até agora, o evento era focado no grande e-commerce. Este ano, as pequenas entraram", disse Eugenio, do Busca Descontos.

Durante o Black Friday do ano passado, alguns varejistas não suportaram o volume de tráfego e seus sites saíram do ar. Neste ano, as empresas dizem que se prepararam mais.

O Magazine Luiza, por exemplo, inaugurou uma nova versão de seu site para suportar um volume maior de acessos amanhã. "A nova versão está mais veloz e mais compatível com dispositivos móveis", afirma Yuiti Sonohara, diretor de e-commerce da rede de lojas.

A Máquina de Vendas, dona das bandeiras Ricardo Eletro e Insinuante, fará um plantão técnico na madrugada de sexta-feira. "Esperamos um acesso quatro vezes maior do que o de um dia comum", disse o diretor de e-commerce da rede, Marcelo Ribeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.