Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Blindagem de dados depende de ambiente seguro, diz especialista

Entrevista com Andy Müller-Maguhn, ativista digital e coautor de 'Cypherpunks'

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2013 | 02h04

O alemão Andy Müller-Maguhn defende políticas de segurança para a internet desde os anos 80. Entre 2000 e 2003, foi ligado à Icann, entidade que regulamenta o uso da rede. Maguhn é coautor do livro Cypherpunks, de Julian Assange, que advoga o uso da criptografia. Ele falou ao Link por e-mail.

É possível ter um sistema de criptografia totalmente à prova de espionagem?

A criptografia é o melhor método de proteção, entretanto ela depende de um ambiente seguro. O que sabemos dos esforços da NSA e de outras agências é que elas não "quebram" a encriptação, mas a driblam, usando softwares que roubam dados antes que sejam encriptados.

Muitos veem a criptografia como atividade clandestina ou ilegal. Mas é algo que é usada por todo tipo de negócios, certo?

É a base para todo o comércio eletrônico, usada em atividades como compras e pagamentos seguros. É por isso que as revelações sobre um amplo ataque em sistemas de criptografia, autoridades de certificação e ferramentas criptográficas por parte da NSA têm impacto em muitas áreas.

Um cidadão comum pode usar criptografia?

Há ferramentas para navegação anônima, como o Tor Browser Bundle; e encriptação de e-mail, como GPG, que são muito fáceis de usar. A utilização da criptografia é proibida apenas em alguns países autoritários.

Tudo o que sabemos sobre:
Internetprivacidadeespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.