Blockbuster fecha todas as lojas nos Estados Unidos

Rede americana fechou serviço de locação, mas marca deverá continuar a ser usada em serviços de streaming pela web

Murilo Roncolato, O Estado de S.Paulo

07 de novembro de 2013 | 02h06

A locadora de filmes americana Blockbuster anunciou que fechará as 300 lojas e centros de distribuição restantes da marca nos Estados Unidos, reduzindo oficialmente suas operações online. A empresa, nascida no Texas em 1985, chegou a ter 9 mil lojas de aluguel e venda de VHS e DVDs no país, e já havia pedido concordata em 2010 após acumular dívida no valor de US$ 1 bilhão. Em 2011, a empresa foi comprada pela Dish Networks, mas não suportou a disputa de mercado de streaming digital, liderado por Netflix e Comcast.

O fechamento será progressivo. A previsão é de que a operação esteja concluída até o início de janeiro de 2014. A empresa anunciou que o serviço de entregas de filmes pelos correios também será encerrado. "Não é uma decisão fácil", escreveu o CEO e presidente da Dish, Joseph Clayton, em um comunicado. "Mas a demanda do consumidor está se direcionando claramente para uma distribuição digital de vídeos de entretenimento."

  

Após pedir concordata em setembro de 2010, a empresa foi leiloada à Dish por US$ 320 milhões em abril do ano seguinte. Um valor irrisório se comparado aos US$ 5 bilhões que chegou a valer em 2002. O plano inicial era manter 1.500 lojas abertas e os 15 mil empregados, ou cerca de 90% das lojas na época da aquisição. Mas meses depois da aquisição, buscando se adequar ao novo contexto, a Blockbuster fechou suas unidades no Canadá e começou a oferecer serviço de streaming - forma de distribuir informação multimídia pela rede. E foi reduzindo o número de lojas e agora anuncia oficialmente o fechamento das últimas unidades.

"Apesar de estarmos fechando os negócios de distribuição física, continuamos a ver valor na marca Blockbuster, principalmente nas ofertas digitais", disse Clayton. O anúncio sobre o fechamento das lojas não afeta necessariamente as franquias terceirizadas, que hoje, calcula-se, totalizam 50 em todo o território dos Estados Unidos.

No Brasil, a Blockbuster já havia extinguido sua presença física, em 2007, quando teve seus direitos comprados pela B2W, dona da loja virtual Submarino e do Shoptime. A controladora já havia encerrado o serviço de entrega em setembro no País, mas sem interromper os postos de aluguel de DVDs que foram transformados em uma espécie de loja express da rede Lojas Americanas, que também é companhia do grupo B2W.

Derrota. O fim da Blockbuster é visto como a vitória da Netflix, serviço criado em 1997 que fez sucesso entregando DVDs em domicílios e se consolidou no mercado com seu serviço de streaming, desde 2007. O Netflix oferece por meio de seu site na internet ou aplicativos em dispositivos móveis uma série de filmes e séries.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.