Blocos da OGX têm volume maior que estimado, diz Eike

O presidente do grupo EBX, o empresário Eike Batista, afirmou hoje que os resultados dos estudos realizados até o momento nos blocos detidos pela OGX, empresa do grupo que atua na área de petróleo e gás, surpreenderam a companhia. "O trabalho que foi feito desde o dia em que ganhamos os blocos e resultou, para nós mesmos, em uma surpresa, porque os volumes são muito maiores do que esperávamos", afirmou o executivo, sem revelar os volumes verificados.Com a operação de oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da OGX, a companhia captou R$ 6,7 bilhões - a maior da história da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Segundo o executivo, o valor é mais do que suficientes para a OGX cumprir os seus investimentos em prospecção e exploração de petróleo e gás natural. De acordo com Eike, a companhia irá perfurar 51 poços nos 22 blocos exploratórios detidos pela OGX, distribuídos entre as Bacias de Campos, Santos, Espírito Santo e Pará-Maranhão. "Existe óleo nessas áreas. O que precisamos fazer é definir as quantidades, o tipo de óleo e qual o modelo de produção. Nós sabemos, porque a sísmica moderna demonstra isso", explicou o executivo durante a cerimônia de adesão das ações da OGX ao Novo Mercado da Bovespa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.