Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Blogueiros aproveitam audiência para ganhar dinheiro extra

Internautas populares em redes sociais e blogs veem em 'programas de afiliados' e posts publicitários maneira de construir a renda ou complementá-la; conheça casos de gente comum

Nayara Fraga, do Radar Tecnológico,

24 de outubro de 2011 | 10h28

SÃO PAULO - Manter um blog pessoal na internet exige compromisso com a atualização. Afinal, notícia velha espanta leitor. Mas conteúdo em dia, no longo prazo, não faz verão para blogueiro assíduo - e esperto. Aproveitar a audiência é estratégia que muitos deles têm seguido para colocar dinheiro extra no bolso.

Os "programas de afiliados" que o digam. Eles são conduzidos por empresas que colocam anunciantes em contato com sites, blogs e perfis em redes sociais. Se uma livraria quer vender um livro do Harry Potter, por exemplo, ela pode atrair usuários para seu site por meio de um post escrito pelo dono de um blog cujo assunto seja justamente o bruxo. Quem clicar no link que leva ao site da livraria e fizer a compra rende ao blogueiro uma comissão, que depende da companhia.

Essa lógica de anunciar - e de ganhar dinheiro, por parte dos internautas - é usada há cerca de dez anos nos Estados Unidos. Milhares de programas de afiliados movimentam cerca de 30% do dinheiro envolvido no comércio eletrônico americano, segundo estimativas da boo-box, uma das companhias brasileiras que conduz esse tipo de programa. No Brasil, esse movimento ainda é incipiente. "Deve responder por 5% do nosso e-commerce", diz Marcos Tanaka, presidente da boo-box.

Mas a tendência é de crescimento. Além dos 77,8 milhões de brasileiros com acesso à internet, segundo levantamento do Ibope Nielsen, o uso de redes sociais e blogs impulsionam a transformação do marketing digital. Empresas e blogueiros, aos poucos, começam a perceber isso e a trocar figurinhas.

"As pessoas estão optando por gastar mais tempo no Facebook, no Twitter e em blogs que emitem suas próprias opiniões do que em sites tradicionais", diz o professor de marketing digital da ESPM Rafael Lamardo. E isso é o que motiva empresas como Lomadee, Submarino, Mercado Livre, Afilio, boo-box e Hotmart, algumas das principais empresas a desenvolver programas de afiliados no País.

Elas remuneram os blogueiros de acordo com o custo por clique ou custo por venda concluída (este costuma gerar mais lucro). O que mostra se o usuário que o comprou partiu de seu blog ou não são códigos fornecidos pela empresa e inseridos no link promovido.

Para você conhecer casos reais, o Radar Tecnológico conversou com blogueiros que há pouco fazem parte de redes de afiliados e estão faturando:

Conheça os sites: hypeness.com.br, casalsemvergonha.com.br; queroficarrico.com; atitudedehomem.com, empreendedordigital.com; oversodoinverso.com; caioferreira.net, comoadestrar.com.br, comoimportardachina.com; chat-feminino.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.